Sixth

Mantenha seu gramado sempre verde sem desperdício de água e luz, Ligue agora – 21 2430-3322 _/_ vendas@irricomrio.com.br

Publicações

Sempre atualizando informações


Craig K. Comstock: Fire Reinventing: Uma Vis?o para o nosso futuro energ?tico

31/10/2011
rainbirdrj
Nenhum comentário
Bookmark and Share

Amory Lovins diz que podemos fazer tudo.

Precisamos emitem muito menos CO2 na atmosfera? Para parar de usar o combust?vel mais sujo de todos, que agora gera mais de nossa eletricidade do que qualquer outro? Reduzir drasticamente a nossa importa??o de petr?leo, do Canad? e em outros lugares, e atingir a meta elusiva da “independ?ncia energ?tica”, definido por sucessivos presidentes, mas nunca fez? Necessidade de utilizar o g?s natural apenas como uma “transi??o” de combust?vel? Para restaurar a for?a da nossa economia e criar empregos?

problema

N?o, de acordo com o novo livro, Reinventing Fogo .

Na medida em que esta promessa seja poss?vel, o autor traz uma not?cia muito boa. Lovins nunca pensou pequeno, j? que a transfer?ncia ap?s dois anos de Harvard College de Oxford. Co-fundador em 1982 da Rocky Mountain Institute , que presta consultoria sobre energia, ele h? muito defende a “Negawatt” uma unidade de eletricidade economizada por efici?ncia, argumentando que os consumidores n?o querem megawatts para seu pr?prio bem, eles querem certos

“Os servi?os de energia.”

Segundo Lovins, nosso grande amigo que diz respeito ? energia ? a redu??o dos res?duos: os carros que s?o muito pesados, edif?cios que vazamento de calor, processos industriais que utilizam mais energia que o necess?rio, redes el?tricas que simplesmente n?o s?o espertos ainda. O objetivo do Lovins e seus colegas do Rocky Mountain Institute ? reduzir drasticamente o uso de combust?veis f?sseis (hidrocarbonetos a partir de antigos p?ntanos mortos que emitem CO2 quando queimados), e assim evitar o pior do aquecimento global, preservando a nossa economia e nossa mobilidade f?sica.

? poss?vel?

Muitos dos defensores

o actual sistema energ?tico supor que a nossa economia teria se chocado com o que Lovins, em sua se??o de abertura, chama de “combust?veis defossilizing”. Eles assumem o interruptor levaria a menos postos de trabalho l?quidos. Que os ve?culos mais leves s?o, necessariamente, menos seguros. Que as ind?strias de energia atual universalmente e, necessariamente, combater qualquer mudan?a.

Todos esses pressupostos est?o errados, Lovins argumenta.

A id?ia

de uma revolu??o verde n?o ? nova. O que Lovins traz para a mesa ? de otimismo, um programa global, os planos para um carro altamente eficiente, e n?meros. Durante a nossa reuni?o, um de cada confer?ncia, ele citou a mim W. Edwards Deming , dizendo: “Em Deus n?s confio, todos os outros, trazer dados.”

Engenheiros

v?o debater at? que ponto o plano de Rocky Mountain ? tecnicamente vi?vel; observadores pol?ticos, a medida em que ? pass?vel. Mas se o plano pode fazer o que Lovins argumenta, em que com base em provas extensas, seria enfrentar os desafios do aquecimento global, o pico de produ??o de petr?leo, a necessidade de mobilidade agora constru?do na paisagem dos EUA, ea polui??o produzida pelo “clean carv?o “(um ox?moro que iria ganhar fitas azuis em uma feira de condado).

executivos

neg?cios no campo da energia n?o suporta necessariamente todos do plano, na aus?ncia de a??o do governo. Mas eles sabem desenvolvimentos importantes est?o acontecendo. Conforme o presidente da Shell diz em seu pref?cio, “n?o h? espa?o para a mudan?a exponencialmente mais do que j? vimos.” Ele cresce vaga ao elogiar Lovins para “argumentos convincentes e perspectivas sobre os desafios e resist?ncia que muitas vezes v?m com a mudan?a”, mas refere-se a “as recompensas que s?o poss?veis.”

ridiculariza Lovins para tentar, com o seu peso leve, carro de fibra de carbono , para estender a era do “automobilismo feliz.” Mas Lovins imagina um mundo feito pelo c?rebro. Seu livro ? salpicado pelas palavras “inteligente”, inteligente, “e at?” inteligentes. “Por exemplo, ele quer desenhar autom?veis que s?o muito mais eficientes e obter o poder, em grande medida, a partir de combust?veis que n?o emitem estufa gases. Ele prev? combust?vel cada vez mais caro, mas o nosso entretanto descobrir como usar menos do que, com a linha de fundo que o nosso custo de longo prazo pode at? ser menos.

? poss?vel, esse retorno de Prometeu? Lovins argumenta que “a nossa an?lise, de acordo com outro funcion?rio e muitos estudos independentes, sugere que o fogo Reinventando vis?o j? est? vi?vel, baseada n?o em milagres ou magia, mas na aplica??o intencional de que j? est? provado.” Sim, n?s ter?amos que continuar a subir uma ?ngreme curva de aprendizado (em baterias de ve?culos, por exemplo), mas n?o precisamos depender de desenvolvimentos que violam as leis da f?sica.

O

falta de muito progresso para o mundo da Fogo Reinventando n?o desencorajar Lovins. Abordando os leitores no final, ele diz:

“Portanto, aplicar a sua intelig?ncia nativa, que incr?vel dom humano que ainda n?o falhou a nossa esp?cie em toda a sua hist?ria, a esta pergunta: Vamos continuar no caminho que estamos no , para a estagna??o econ?mica, aumento dos custos, riscos desagrad?veis, convuls?o social e um mundo cada vez mais perigosa, ou devemos fazer uma pausa em negrito e come?ar a lan?ar as bases de energia de um mundo sem res?duos, quer, ou a guerra? “

Al?m desta conversa de vitalidade, ele considera as barreiras no caminho de seu plano. Quadro de um plano (como Henry Ford fez com o Modelo T ou JFK com a viagem ? Lua), encorajar os l?deres do governo e da ind?stria, oferecem os incentivos corretos, e isso vai acontecer. Mas, diz Lovins, “Se os nossos representantes eleitos continuam a tomar decis?es com base na mudan?a de ventos pol?ticos, se os interesses especiais mant?m bloqueio reforma significativa, se os capit?es da ind?stria encolher a partir de medidas corajosas de cautela, ent?o vamos come?ar o sistema de energia med?ocre que merecem. “

Este livro oferece n?o

id?ias de como lidar com essas barreiras, mas uma vis?o do que poder?amos ter, um sistema que iria beneficiar muitas partes interessadas, incluindo as corpora??es ?geis. A chave ser? transformar os incentivos. Caso contr?rio, poder?amos alcan?ar pouco mais de “greenwashing”, como as turbinas e?licas e pain?is solares no site da Exelon Corporation , 93% de energia nuclear, da qual o CEO abastece o pref?cio outros engenhosos Lovins, fato rico, livro e otimista.

???????????? Verde sobre HuffingtonPost.com

Gostou do artigo? Para receber atualizações e novidades, informe seu email no campo abaixo.

Escreva um comentário

Comentário