Sixth

para manter seu gramado sempre verde sem desperdicio de agua e luz, ligue agora – 21 2430-3322 _/_ vendas@irricomrio.com.br

Publicações

Sempre atualizando informações


Anushay Hossain: sete bilh?es de pessoas e Direitos da Mulher: Qual ? a conex?o?

01/11/2011
rainbirdrj
Nenhum comentário
Bookmark and Share

No final de outubro, a ONU projeta que a popula??o mundial atingiu 7.000 milh?es, um marco no meio assustador aumento da instabilidade pol?tica e econ?mica global. Mais pessoas v?o apenas colocar maior press?o sobre o nosso ambiente, sobre os habitats do mundo, florestas e recursos como a ?gua. Mas como investir em empate dos direitos das mulheres em desacelera??o do crescimento da popula??o mundial?

Organiza??es

, como o Instituto Guttmacher e A??o de Popula??o Internacional estado (PAI) que o n?mero sete bili?o reflete a necessidade urgente de que as pessoas sejam capazes de exercer o seu direito de determinar o tamanho eo espa?amento de suas fam?lias. No entanto, a maioria das mulheres, especialmente no mundo em desenvolvimento, ainda s?o incapazes de controlar sua fertilidade.

Na verdade, os especialistas estimam que existem actualmente 215 milh?es de mulheres em todo o mundo que desejam atrasar ou evitar a gravidez, mas n?o t?m acesso a contraceptivos. Guttmacher afirma que essas mulheres representam mais de 80% de todas as gravidezes n?o desejadas no mundo em desenvolvimento a cada ano.

O que eu acho fascinante sobre esse relacionamento ? o foco que traz para os direitos do indiv?duo, especialmente as mulheres. O que foi inovador na Confer?ncia Internacional sobre Popula??o e Desenvolvimento (CIPD) , no Cairo, foi o centro das aten??es que colocar os direitos das mulheres. Foi quando as pol?ticas de popula??o deixou de ser sobre o controle da popula??o e diminuindo a popula??o e passou a ser sobre o empoderamento das mulheres.

A id?ia era que

se as mulheres tivessem acesso ? educa??o e maior empregos assalariados, eles escolheriam a ter fam?lias menores, reduzindo assim as taxas de fertilidade. Em sua post , Suzanne PAI de Ehlers identifica que temos sido repetidamente mostrado que “se voc? dar ?s mulheres as ferramentas para ter controle sobre suas vidas, os n?meros se seguir?o.”

Assim, se j? sabemos o caminho a seguir, por que parece que continuamos a andar para tr?s quando se trata de permitir o controle das mulheres sobre sua sa?de e direitos reprodutivos? Por que ? que mesmo que n?s estabelecemos um roteiro, no Cairo, mais de quinze anos atr?s, hoje, em Washington ataques sobre a sa?de reprodutiva das mulheres, tanto globalmente quanto internamente, persistem como a ajuda externa continua recebendo corte?

Investimentos

na sa?de da mulher deve ser feito se quisermos manter o nosso planeta. Ainda podemos reduzir o n?mero eo crescimento populacional lento se nos dirigimos a necessidade n?o atendida do mundo para a contracep??o, como Susan Guttmacher Institute de Cohen explica :

Respondendo diretamente a pessoas individuais necessidades e desejos para determinar por si pr?prios se e quando ter um filho ir? contribuir significativamente para a sua capacidade de levar mais saud?vel, vidas mais produtivas. Por sua vez, estes benef?cios para os indiv?duos e as fam?lias acumular ?s suas comunidades e ? sociedade em geral. Em ?ltima an?lise, o impacto seria sentido no n?vel global. Reuni?o os desejos declarado de todas as mulheres ao redor do mundo para espa?ar ou limitar nascimentos resultaria em popula??o do mundo pico dentro das pr?ximas d?cadas -. E ent?o realmente come?ando a declinar

Chegar sete bili?o pode ser um marco hoje, mas a menos que nos dirigimos as mulheres poderem ter acesso aos m?todos modernos de contracep??o, este n?mero s? vai aumentar e trazer consigo conseq??ncias terr?veis. No cerne da solu??o ? investir em mulheres – em nossos direitos e em nossa sa?de. Se as mulheres est?o a ser verdadeiramente capacitadas, elas devem estar no controle de sua reprodu??o.
E o mundo inteiro vai colher os frutos.

Cross-postado do ponto Anushay .

Torne-se um f? no Facebook

???????????? Verde sobre HuffingtonPost.com

Gostou do artigo? Para receber atualizações e novidades, informe seu email no campo abaixo.

Escreva um comentário

Comentário